segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Saudade.


Minha amiga,
não sei quando nem onde você vai ler essa carta.
Mas lhe escrevo mesmo assim.
Escrevo porque agradeço agora
aos Deuses e á vida
e a tudo e todos que contribuiram
para que nossos caminhos se cruzassem.
Porque me inspiras.
E porque me traz amor.
E porque estás agora aqui comigo.
E eu me sinto aí, proxima
como num abraço.
Sinta minha amiga
o côncavo do planeta
e a maneira como o vento sopra
minha voz no teu pensamento.
Sinta meu amor
e a luz que eu te emano.
Que é tua luz.
e é nossa.
E somos um.
Não importa quanto chão haja entre nossos pés.
Bons ventos, te amo. E até já.





Carta para uma amiga que está longe, mas está perto.
Grata por todo o seu amor.
(em 02/08/2008)

Um comentário:

Drica Oliveira e Rafael Planta disse...

Minha amiga irmã...
leio essa carta hoje, em 2011... três anos depois e me emociono. Deixo que a corrente atravesse meus olhos. Deixo que nossos espíritos se entrelacem na certeza que sempre nos reencontraremos... em cada existência... estaremos unidas mesmo na distância do tempo e espaço. Sinto o concavo do planeta... é lá que te encontro sempre.